quinta-feira, 27 de julho de 2017

Evento


9+2 Musas para um Museu

Musas, nove no total, alternando-se com bela voz,
cantavam o treno; lá não verias, sem lágrima, nenhum
argivo: de tal forma ressoou a música aguda.
(Odisseia, 24:60-2, tradução de Christian Werner)



Mosaico greco-romano (séc. II a.C.) encontrado em Zeugma, Turquia, em 2007


Os versos acima citados estão no último canto do poema épico de Homero dedicado a Odisseu, no momento em que é lembrado o funeral de Aquiles, de como o herói foi pranteado por 17 dias, nos quais as musas estiveram presentes, lamentando tudo que se havia perdido. Saindo da esfera da literatura para a penosa realidade brasileira, temos tido também muito que prantear nesses últimos tempos tão desditosos, com tamanhas perdas –os versos de Carlos Drummond de Andrade no poema Áporo: "Que fazer exausto, em país bloqueado, enlace de noite, raiz e minério?" parecem ressoar mais que nunca, agora. Destarte, ocorreu-nos invocar as Musas, pensando que a "lenda se escorre a entrar na realidade" (de novo, mais versos, agora de Fernando Pessoa, em Ulisses) e que falar dessas belas e antigas mulheres e suas artes possa ser, mas que alento, um elemento na reconstrução de desejos e projetos pedagógicos compartilhados, como professores/as em luto/a.

Estes encontros com as musas constituem-se também como um curso, promovido pelo Museu Mineiro e o Departamento de Filosofia da UFMG, aberto ao público. Nele trataremos das artes com as quais as Musas estavam associadas e de sua ligação com a ideia de Museu, bem como o estado atual dessas artes e dos espaços educativos. Como pode ser notado pelo título, além das 9 musas tradicionais, há outras duas. A décima Musa é a da sétima arte – o cinema –, daí ser ela nomeada em homenagem a Apolo, deus da luz (nos sentidos literal e metafórico). A décima primeira é a da Filosofia, que tem, aqui, a função platônica de articular o diálogo entre as outras dez (formando um time de 11 membros, mas que joga apenas consigo mesmo), sem se destacar como figura individualizada. 

Programação
Agosto
10 – Érato: Poesia amorosa, Jacyntho L. Brandão (Letras-UFMG)
17 – Apolínia: Cinema, Martin M. Winkler (Classics-George Mason University), com tradução.
24 – Tália: Comédia, Tereza Virgínia R. Barbosa (Letras-UFMG)
31 – Polímnia: Hinos sagrados, Yiannis Petropoulos (Classics-Democritus University of Thrace) em português
Setembro
14 – Melpômene: Tragédia, Francisco Marshall (História-UFRGS)
21 – Clio: História, Rafael Scopacasa (História-UFMG)
28 – Euterpe: Poesia lírica, Sérgio Alcides (Letras-UFMG)
Outubro

05 – Urânia: Astronomia, Renato  Las Casas (Física-UFMG)
19 – Terpsícore: Dança, Mônica Ribeiro (Belas Artes-UFMG)
26 – Calíope: Poesia épica, Antônio Orlando Lopes (Letras-UFMG)


Os encontros serão sempre às quintas-feiras, de 19 às 20h30, na sala de reuniões do Museu Mineiro. São palestras/exposições (de aproximadamente 40 min.) de caráter introdutório. Haverá uma breve apresentação do convidado e da musa do dia, seguida da palestra e conversa entre os participantes e expositor, acompanhada de pão de queijo e outros quitutes mineiros.

Promoção:  Museu Mineiro e Departamento de Filosofia da UFMG.

Organização: Prof. Dra. Maria Cecília de M. N. Coelho (Filosofia/UFMG), bolsistas de Iniciação Científica e Mestrado do Departamento de Filosofia da UFMG e funcionários dos Museu Mineiro.

Apoio:
Andrea Magalhães de Matos, Superintendente de Museus e Artes Visuais.

Público alvo: Professores, pesquisadores, estudantes de graduação, e pós-graduação e demais interessados em Filosofia, Teatro, Letras Clássicas, História, Direito, Ciências Políticas, Comunicação Social e Belas Artes.

Inscrições: Devem ser feitas por meio do sistema de inscrições Google
https://goo.gl/forms/TKMS1JikGMg3QJuN2. O valor é de R$50,00 e R$25,00 para estudantes (o comprovante da condição de estudante deve  ser levado no primeiro dia de atividade). As vagas são limitadas ( 30 vagas) e serão preenchidas conforme a ordem de inscrição. A carga horária do certificado de participação será de 15 h/a, concedida aos que tiverem 90%de frequência.

Museu Mineiro.
Av. João Pinheiro 342 – Funcionários, Belo Horizonte, MG, Brasil. CEP: 30130-180.
Telefone: +55 (31) 3269 1103

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Jacyntho Lins Brandão é eleito para a Academia Mineira de Letras Professor de língua e literatura grega, que assumiu a cadeira 25, publ...